NOITE

A vida noturna de São Paulo é uma das melhores do mundo, pela variedade e quantidade de opções que turistas e moradores desfrutam todas as noites. A música é diversificada, assim como os ambientes, os endereços, o público, as opções do cardápio. De rodas de samba a pubs e refinados clubes de jazz, passando por casas noturnas agitadas que viram a madrugada regadas a música eletrônica, bandas de pop rock ou sucessos internacionais, a capital atende públicos de todos os perfis, idades, bolsos e estado civil.

Tradicional ponto da boêmia paulistana, a Vila Madalena é um bom começo para a diversão. O bairro é repleto de bares descolados, boa música e público descontraído. Por lá, a graça é sentar-se para um chope com os amigos. A variedade de bares é capaz de agradar a todos. Caminhe pelas ruas e encontre o público que mais combina com você. Se quiser uma boa combinação de bebida e música, por exemplo, vá ao Jazz nos Fundos ou ao Pau Brasil (com samba de roda). Para um ambiente inusitado, tente o São Cristovão Bar e, se quiser um clássico, sente-se no Filial.

Os bons bares não se restringem à Vila Madalena, eles estão espalhados por toda a cidade. Alguns clássicos, como o Bar da Dona Onça e o Bar Bhahma (os dois no Centro) são boas pedidas. Outros chamam a atenção pelo refinamento. É o caso do Skye Bar, no Hotel Unique, onde bons drinks se unem a uma das mais surpreendentes vistas da cidade. Há botecos que atraem pelos petiscos, como o Veloso, na Vila Mariana, com sua famosa coxinha, considerada a melhor da cidade. São Paulo oferece até bares que se destacam pelo inusitado, como o Ludus Luderia. Por lá, uma quantidade descomunal de jogos de tabuleiro diverte os frequentadores.

  1. um clássico ponto da noitada paulistana, a Rua Augusta reserva surpresas por trás das fachadas muitas vezes escondidas. O local permanece cheio por toda a madrugada e você poderá caminhar em busca da música que mais te agrada. As baladas atraem um público extremamente variado e bastante alternativo. A Augusta é lugar pra encontrar de tudo um pouco. As baladas seguem por toda a região da Consolação. Experimente os clássicos dos anos 70 a 90 no Le Revê Club ou o rock do Astronete, do Inferno e do Naive, mais intimista. Tome um drink em meio à bagunça do Caos, onde o antiquário vira bar ao cair da noite. Quem prefere música eletrônica poderá escolher entre a Mono e a Lab. Para festas descoladas, alternativas e temáticas (como a festa inspirada no filme Clube da Luta), procure o Beco 203.

Assim como os bares não estão restritos à Vila Madalena, as baladas também não se resumem à Rua Augusta. Vila Olímpia, Jardins e Barra Funda são bons exemplo disso. Na Barra Funda, por exemplo, há uma grande concentração de casas noturnas para diferentes públicos. Uma das mais famosas e disputadas casas da cidade, a D-Edge, recebe os fãs de música eletrônica para grandes festas. Também na linha eletrônica, baladas como The Week (mais destinada ao público LGBT) e Clash tornam o circuito da Barra Funda ainda mais interessante. Na Easy, os frequentadores encontram festas que vão de funk a eletrônico. O público mais alternativo encontra espaço na Neu Club, enquanto fãs de sertanejo têm lugar certo no Villa Country. Aqui, listamos apenas algumas opções interessantes da capital que valem uma visita. Mas há muitas outras! Faça uma consulta com a SAMPA EXPERIENCE para escolher o lugar mais adequado ao seu perfil e à experiência que você deseja vivenciar.

Bares temáticos
quintana3.JPG

Em São Paulo, muitos bares charmosos resolveram apostar em temáticas especiais para conquistar clientes. O bar Quintana (foto), na Chácara Flora, além de petiscos deliciosos, cervejas bem geladas e bons drinks, homenageia o poeta Mario Quintana, com trechos dos seus famosos poemas espalhados por toda a casa – inclusive nos degraus da escala. Na mesma linha, há outro var, no Brooklin Novo, o Veríssimo, que rende homenagem ao escritor do mesmo nome. Na sua decoração, caricaturas e capas de livros tomam conta das paredes. Vale a pena provar os tapas, que complementam o cardápio de influência espanhola. No Salve Jorge, com unidadeS no Centro e na Vila Madalena, o tema são os “Jorges” do mundo. Do cantor Seu Jorge ao ex-presidente George W. Bush, passando por Jorge Bem e George Lucas, as paredes do bar são tomadas por caricaturas divertidas. Uma dica imperdível no local é a caipirinha com sorvete! Já outro Jorge, o santo, está presente no bar O Templo, localizado em um antigo galpão na Mooca. Além de shows de música ao vivo, a casa aposta na decoração para atrair mais público – com mais de 800 imagens de santos cristãos, umbandistas, hinduístas e budistas. Passando das páginas da bíblia, e outros livros religiosos, para as páginas dos quadrinhos, chegamos no Gibi Cultura Geek, na Vila Mariana, que reúne HQ’s, videogames, exposições de bonecos e, claro, bons e divertidos drinks. Ainda para os nerds de plantão, que tal um bar onde se pode jogar uma partida de algum jogo de tabuleiro? O Ludus Luderia, na Bela Vista, tem mais de 900 opções para quem quer se encontrar com amigos e tomar uma cerveja enquanto disputa territórios em uma partida de War. E ainda para quem gosta de jogar, que tal apostar na movimentação do mercado e pagar mais barato pela sua bebida? O bar Wall Street, no Itaim, oferece um conceito similar aos pregões da bolsa: quanto mais pedem determinada bebida, mais cara ela fica. Quanto menos pedem, mais barata. Já o Le Basquiat é uma mistura de bar com balada. Com muita música e comidinhas gostosas, o local é inteiramente inspirado no artista americano Jean-Michel Basquiat. As paredes do local são cobertas por fotos do trabalho e da vida do pintor, dando ares de galeria de arte para o bar. Vale também mencionar casas como o Jet Lag Pub (Jardim Paulista), inspirado em aviões, o The Sailor Pub (Jardim Paulista), inspirado em barcos, e a casa Rey Castro (Itaim), especializada nos ritmos latinos. Para quem curte o bom e velho rock and roll, o Clock Rock Bar é um bar dançante inspirado nos rockabillys de antigamente. Ainda no tema velharias, a Caos Bar & Antiguidades (Rua Augusta) vende antiguidades durante o dia e se transforma em bar de rock à noite. O Igrejinha Bar, na Consolação, é outra casa peculiar e muito agitada. Embora imagens religiosas tomem conta das paredes, a última coisa que você vai encontrar por lá é santidade. É especializado em Indie Rock.

Pubs
sailor.jpg

A noite paulistana conta com uma variedade incrível de bons pubs – um prato cheio para quem gosta deste tipo de bar que mistura cerveja de boa qualidade, um público diversificado e boa música.  Um dos mais badalados pubs da capital é o Dublin, versão brasileira de um pub irlandês. Com uma decoração caprichada e um público bonito diversificado, oferece boas bandas de pop rock , vários tipos de chopes, diversas opções de cervejas importadas e drinks que já são sucesso na casa, como o Melon Juice, com suco de melão, vodka e gelo. Também muito tradicional, desde 1995, o Charles Edward é um pub mais moderno, mais espaçoso e com uma belíssima decoração. É um ótimo endereço para quem deseja paquerar na noite paulistana. Seu público é diversificado, reunindo principalmente uma clientela acima dos 30 anos. Localizado no Itaim, oferece boas bandas de pop rock e muito agito. O Kia Ora, no Itaim, buscou inspiração na Austrália e Nova Zelândia. É outra casa onde a paquera é muito forte. Em sua programação, bandas de pop rock de qualidade. Na Vila Madalena, o Republic Pub tem decoração caprichada e voltada para o clima londrino. No cardápio você encontra uma grande variedade de chopes importados, como o tradicional irlandês Guinness, o alemão Erdinger e o inglês Old Speckled, além de mais de 30 rótulos de cervejas internacionais. Durante a semana, o pub recebe bandas de pop rock e DJ para manter o clima animado e descontraído. A casa ainda oferece o Sports Bar, ambiente exclusivo dedicado aos jogos e esportes como a mesa de bilhar e os dardos eletrônicos. O Jet Lag Pub, localizado na Rua da Consolação, é um pub temático cuja decoração é voltada para a aviação, com peças retiradas de aviões antigos, como asas, turbinas e hélices. Nas paredes, ilustrações de aeromoças pin-ups, pilotos e mapas de rotas. Além disso, garçons e garçonetes desfilam pelos ambientes trajando uniformes de comissários de bordo. O acesso ao segundo andar é feito por escada rolante e é lá que está localizado o camarote, intitulado Jet Set, onde DJs comandam o som de uma cabine de comando original. Sofisticado, o The Sailor Legendary Pub (foto), na Avenida Brigadeiro Faria Lima, é um pub que remete ao interior de um navio e tem seu nome em homenagem ao tatuador Sailor Jerry. Na decoração, objetos curiosos como escotilha de navio, luminárias, baús e outras peças importadas da Argentina. Nas paredes, ilustrações do artista plástico Gaston Tucci como mapas, marinheiros e pin-ups. Com três ambientes, a casa oferece o melhor do pop rock, com bandas de qualidade. Inspirado nas estações de metrô de Londres, o London Station, no Itaim, é requintado, moderno e descontraído. Em sua programação, oferece as melhores bandas e DJs nacionais e internacionais, sempre com bom pop rock.  O O'Malley's, típico pub irlandês localizado nos Jardins,e oferece ao público música de qualidade. Também é conhecido como ponto de encontro para treinar o inglês, idioma oficial da casa. A casa transmite diversas programações de esportes e competições no telão do bar. No piso superior, música ao vivo todos os dias, com muito pop rock, e, às segundas-feiras, jazz. O cardápio conta com opções variadas de sopas, saladas, grelhados, burgers, sanduíches, wraps, curries e vários pratos tradicionais irlandeses. Ainda nos Jardins, o The Blue Pub adota o clima londrino na sua decoração. O Blue vem do azul na bandeira da Grã-Bretanha e também do azul da cor oficial do Chelsea Football Club. Já o Leão do logo significa um ícone de bravura e um antigo símbolo dos brasões de armas inglesas, muito comuns nas tradições européias medievais. A casa oferece happy hour com muitas opções de petiscos, drinks e chopes nacionais e importados, além de uma mesa de sinuca. Outra casa bem conhecida do público paulistano é o All Black, também nos jardins. A casa traz para São Paulo a atmosfera dos pubs irlandeses através do cardápio, decoração e música. Com programação musical de terça a domingo, o pub recebe boas bandas de rock. No cardápio, chopes Guinness, Heineken, Newcastle e Itaipava. Em Pinheiros, o Finnegan’s é o pub mais antigo de São Paulo, fundado em 1988. O local mantém as tradições irlandesas como a festa de St. Patrick’s Day (padroeiro da Irlanda) e o Bloomsday (evento literário único no mundo). O pub é considerado um reduto dos estrangeiros desde sua inauguração e também dos paulistanos que querem dar uma relaxada após o trabalho, e curtir um happy hour com os amigos. No cardápio, a casa oferece cervejas importadas, como a Guinness, e o legitimo Irish Coffee (whisky irlandês Jameson, café e espuma de creme de leite), além de pratos típicos da Irlanda. O The Pub, localizado na Rua Augusta, leva para a região um clima de pub londrino, com TVs ligadas em canais de esporte, torneiras de chope importado no balcão, além de mais de 50 rótulos de cerveja entre brasileiras, inglesas, irlandesas, mexicanas, alemãs e austríacas, entre outras. Boas bandas de pop rock garantem a diversão do público.

Para dançar
13112015-IMG_9585.jpg

A vida noturna em São Paulo é muito diversificada. É possível encontrar no mesmo bairro, ou até na mesma balada, diversos tipos de música, estilos e pessoas. Algumas casas de São Paulo, por exemplo, se especializaram em atrair um público um pouco mais velho, acima dos 30/40 anos, tocando flash-backs e também músicas mais modernas criadas depois do ano 2.000. Em geral são casas grandes, com um público bem diversificado. As principais, e que costumam lotar aos sábados, são a Limelight (foto), The History e Overnight (as três na Vila Olímpia) e Lê Reve (Centro). A Lê Reve, por exemplo, tem duas pistas de dança que funcionam de maneira independente, tocando um som diferenciado em cada espaço.  Na onda do sucesso destas danceterias, em 2016 foi reinaugurada a Boogie, casa que fez sucesso no passado no mesmo endereço atual, na Vila Olímpia. A casa segue a mesma proposta das demais, mas com um visual mais moderno.

Vila Madalena
jacare-grill.jpg

Uma das atrações da Vila Madalena é a sua enorme diversidade de bares e restaurantes para todos os bolsos e estilos. Cada estabelecimento tem seu jeitinho especial. Têm os botecos clássicos, daqueles com azulejos na parede, chope gelado, futebol e caldinho de feijão, como o Filial e o São Cristovão, e os com algo a mais, como a Mercearia São Pedro e o Salve Jorge - que dá desconto pra qualquer um que se chame Jorge. Não faltam boas opções culinárias em suas ruas. Algumas misturam a comida com loja de decoração, como o Lá da Venda; ou então o Armazém da Cidade, que vende comes, bebes, roupas e muito mais – além de promover encontros musicais pelo bairro, cheio de coisas gostosas e lanches à venda. O Consulado Mineiro, sempre lotado, vale a longa espera regada a uma deliciosa caipirinha. Ou então a charmosa Oficina da Pizza, que conta com uma extensa carta de vinhos e uma decoração bastante única serve uma das melhores fatias da região. O tradicional Jacaré Gril (foto)l, inaugurado em 1990, é outra casa que vale a visita. No cardápio, grelhados acompanhados de molhos diferentes, como de manga e maracujá, além de porções de batata assada recheada com requeijão e bacon e a sua tradicional picanha. Aos sábados, a partir das 19h, tem música ao vivo de graça. Isso tudo além de diversos outros restaurantes italianos, vegetarianos, franceses e japoneses, entre outros tipos. Sem contar as sorveterias, as docerias e os foodtrucks que frequentam a região.

Baixo Augusta
caos-augusta.jpg

De acordo com a rede americana CNN e o National Geographic, a noite paulistana é a quarta melhor entre as capitais do planeta. E parte disso se deve a uma região, próxima à Avenida Paulista, chamada de Baixo Augusta – que engloba parte da Rua Augusta e arredores. Repleta de restaurantes, cinemas, teatros, lojas, bares, baladas e foodtrucks, a vida por lá, principalmente à noite, é bastante agitada. Reduto das mais diversas tribos, o local tem opções para todos os perfis. Se você é hipster ou punk, roqueiro ou pagodeiro, vegetariano, gourmet, aprecia boa cerveja, gosta de andar de skate, comer hambúrguer ou quer sambar, esta região é perfeita! Uma das casas mais recentes e que faz sucesso na região é o Caos Antiguidades (foto), uma mistura de bar com casa de antiguidades.

Casa 92
92.jpeg

Instalada em Pinheiros, no Largo da Batata, a Casa 92 é um bar e casa noturna com personalidade própria, feito sob medida para quem busca um lugar diferente e fora do senso comum. Com decoração vintage e diversos ambientes acolhedores, possui em sua essência charme, descontração e receptividade. Tem cara de casa da vovó. O som resgata clássicos dos anos 80, disco music, rock. Logo na recepção, o papel de parede com arabescos dourados chama a atenção, junto com os detalhes em captonê em alguns móveis. Há uma sala de bilhar com tons rosa e marrom e um pub de madeira. A parede da pista foi ilustrada pelos tatuadores Maria Fernanda Brum e Arthur de Camargo, com suas cores e desenhos característicos, e outros objetos antigos foram garimpados em brechós e feirinhas da cidade. Pensando em realizar as festas com clima de encontro entre amigos, os sócios chamaram alguns talentos da arquitetura e da cenografia para realizar a decoração com cara de casa da vovó, inspirada pela personagem criada por Sommer, Mrs. Hannah, uma irlandesa que adora abrir as portas de seu lar para receber convidados. Entre os artistas, Nido Campolongo, Marcelo Faisal e Píer Balestrieri encheram as salas e varandas de sofás, quadros e bibelôs antigos. Objetos divertidos do Coletivo Amor de Madre e obras da Galeria Emma Thomas completam os espaços. O cardápio da casa é todo feito com base de batata, em homenagem ao local em que a casa está instalada e um dos ingredientes principais na culinária da fictícia dona. Mas agora existem também os mini-hamburgeres que são feitos lá mesmo e que são o sucesso do cardápio.

Banana Café
banana.jpeg

Sucesso nos anos 90 na noite paulistana, o bar Banana Café abriu novamente suas portas em um novo e charmoso endereço: um casarão dos anos 20 no bairro do Itaim. E o lugar vive agitado, com um público jovem e bonito querendo ver e ser visto. É um dos bons endereços da cidade para quem quer paquerar. A decoração da casa é cheia de detalhes bacanas e divertidos, incluindo cacos de banana, papel de parede com folhagens, chão de mármore e um lindo jardim vertical. Tem mesinhas na calçada e drinques deliciosos, como o Verdinho (gim, lima-da-persa, manjericão e bitter de laranja).

Tatu Bola
tatu.jpg

Bar charmoso, inaugurado em 2012, que vem tendo sucesso na cidade. Já são três unidades: Vila Olímpia, Itaim e Jardins. Esta última, aberta em junho de 2016, está instalada num endereço emblemático da capital que já recebeu outras baladas famosas no passado: na esquina da Augusta com a Estados Unidos. Sempre lotado, serve chope de qualidade e bons petiscos, recebe um público bonito e ainda oferece música ao vivo das boas (geralmente rock). Esta combinação mágica garante um movimento mensal em torno de 10 mil pessoas em cada unidade.

Sala Especial
sala especial.jpg

Eleito o “Bar Revelação” de 2016 pela revista Veja, o Sala Especial continua badalado. Sua decoração é propositalmente exagerada, com muitas plantas artificiais – mas sem perder o charme e elegância. Outro endereço em que a paquera predomina, impulsionada por ótimos drinques, como o Mad Tea Punch (gim com earl grey, redução de cerveja, calda de rapadura e bitter).

Bar Sabiá
sabia-6.jpg

Instalado na Vila Madalena, este boteco destaca-se pela sua atmosfera boêmia, pelo visual charmoso, pelos janelões originais, pela iluminação suave. Serve bons chopes, drinks e delícias preparadas pela chef Graziela Tavares.

Bar Ambar
ambar2.jpg

Instalado em Pinheiros, é um dos melhores lugares para tomar chope em São Paulo atualmente, e de diferentes tipos e marcas – como o Schornstein Bock (feito em Pomerode, SC), o Avós IPA (Várzea Paulista, SP), o Dogma Citra Lover (Cervejaria Paulistana), e os Bamberg Weizen Bamberg Altbier (ambos de Votorantim, SP). É uma casa ampla e espaçosa, onde se destacam as 15 torneiras de chope.

Choperia São Paulo
choperia sao paulo.jpg

Outra casa especializada em servir chope de qualidade. São 20 tipos produzidos com cuidado com pequenos fabricantes paulistas. Um exemplo é a marca Júpiter, pouco conhecida do grande público. Fica em Pinheiros.

Bar SubAstor
subastor_interna.jpg

Bar pequeno e aconchegante, com iluminação bem suave, público bonito e quase sempre lotado. Não é fácil conseguir uma mesa lá. Fica na Vila Madalena, no subsolo do tradicional bar Astor. Seus ótimos drinques explicam parte do sucesso da casa.

The View Bar
the view.jpg

Localizado numa região privilegiada, no 30º andar de um prédio da Alameda Santos, no bairro dos Jardins, o The View Bar oferece uma vista panorâmica de uma das regiões mais nobres de São Paulo. Seu espaço é romântico e decorado com poltronas amplas e confortáveis. Nas janelas, figuras de arranha-céus emolduram as paredes e transmitem um toque de requinte ao ambiente.

Bar e Restaurante Skye
skye.jpg

Localizado na cobertura do hotel Unique, o Skye Bar e Restaurante possui uma piscina avermelhada e um fabuloso lounge com vista panorâmica para o Parque Ibirapuera e todo o horizonte de São Paulo, incluindo o skyline da Avenida Paulista. No Skye, os maravilhosos sabores apresentados na gastronomia contemporânea do Chef Emmanuel Bassoleil, a exuberância visual e o serviço único despertam os sentidos dos visitantes em todas as ocasiões, seja num café da manhã em família, um almoço de negócios, happy hour entre amigos ou em um jantar romântico a dois.

Viela Bar
viela.jpg

O Viela bar surge com um conceito único: um espaço super descolado, com cultura, design, unindo elementos vintage e fabric. Despojado e moderno, mas sem perder a essência de um bom boteco brasileiro. Ótimos drinks e cardápio desenvolvido com altas técnicas gastronômicas fazem do Viela o point perfeito para um encontro entre amigos. Fica no Itaim.

Bar O Templo
bar-templo.jpg

Instalado em um charmoso e antigo galpão do século passado, no bairro da Mooca, na Zona Leste, o bar O Templo é um espaço muito inusitado e curioso que leva o tema religião muito a sério. No local existem mais de 800 imagens de santos cristãos, umbandistas, hinduístas e budistas. Há imagens com mais de 2 metros de altura! Entre os enfeites, destaque também para os anjos barrocos. A programação musical é bem eclética e inclui samba (aos sábados à tarde), sertanejo e eletrônico, entre outros gêneros. Para descansar entre uma música e outra, outro toque religioso simpático: há bancos típicos de igrejas à disposição. O cardápio também remete ao tema “religião”, com pratos como “Despacho” (frango assado com farofa e ervas) e “Iemanjá” (espeto de camarões grandes assados).

Bar Brahma
BAR-BRAHMA1.jpg

O endereço não poderia ser mais poético: como já dizia a música de Caetano, "alguma coisa acontece no meu coração, que só quando cruzo a Ipiranga e a Avenida São João". E é nesta esquina, bem no coração da cidade, que São Paulo acolhe o Bar Brahma. Desde a fundação, em 1948, o Bar Brahma foi testemunha de fatos importantes da nossa história. Desde as acaloradas discussões sobre a repressão política da década de 60 até as comemorações dos 450 anos da metrópole, em 2004. O Bar Brahma já é parte indissociável da trajetória de São Paulo. ​Engana-se, entretanto, quem acha que o Bar Brahma vive de história. A tradição de trazer sempre o melhor da música e da gastronomia paulistana à esquina mais famosa da cidade faz a imagem do Brahma se reinventar a cada temporada. Nos shows, Elymar Santos, Demônios da Garoa e Kiko Zambianchi se misturam aos artistas contemporâneos e de repertório variado, como Vanessa Jackson, Sall e Carolina Soares, entre tantos outros. No cardápio, os “petiscos de bar” contam com um preparo mais do que especial

Café Piu Piu
cafepiupiu_bar.jpg

O super tradicional Café Piu-Piu, no Bixiga, funciona há 34 anos em um clima de muita descontração. A fórmula da casa é simples: oferecer diversidade musical e cultural. Prova disso é que passam pelo seu palco bandas dos mais diversos ritmos, espetáculos de dança, shows de mágica e até música erudita. Já no cardápio existem opções que vão dos típicos petisco de bar como Provolone à milanesa ou Latkes Exclusiva (bolinhos fritos de batata ralada) até os pratos mais elaborados, como o Escondidinho de Carne Seca com Purê de Mandioca ou os Beirutes de lagarto, peru, frango e filé. Para beber, o chope Brahma está sempre gelado e a casa ainda oferece drinques como Mojito, Piña Colada, Sex on the Beach, além é claro das caipirinhas.

Canto da Ema
cantodaema7.jpg

Nome da música de João do Vale, “Canto da Ema” teve como seu principal intérprete Jackson do Pandeiro. Foi justamente pensando em homenagear dois dos mais importantes compositores e cantores da história do forró que foi escolhido o nome desta casa. Desde que foi inaugurado, o Canto da Ema faz jus ao nome, proporcionando a um público variado e fiel sempre o melhor do ritmo, seja nos intervalos das bandas, onde se pode escutar o mais tradicional forró, com músicas de Luiz Gonzaga, João do Vale, Jackson do Pandeiro, Dominguinhos, Trio Nordestino, Três do Nordeste e Elba Ramalho, entre outros, seja nos shows ao vivo com trios e bandas que sugerem uma mescla entre o novo e o tradicional. Nas apresentações ao vivo, o Canto da Ema reafirma essa opção, apresentando, na maior parte da programação, Trios, como o talentoso Trio Dona Zefa, o famoso e carismático Trio Virgulino e o tradicionalíssimo Sabiá. O novo e moderno se apresenta normalmente as sextas-feiras em uma leitura própria feita pelos excelentes músicos da banda Bicho de Pé e as performances deliciosas da grande cantora Janaína Pereira, a vocalista da banda. A Casa recebe outros diversos músicos da recente nova safra do forró e, por vezes, consagrados nomes do gênero como Dominguinhos, Elba Ramalho, Geraldo Azevedo e Chico Cesar.

Villa Country
villa.jpg

Inspirada na cultura dos cowboys do western, o Villa Country possui 12 mil m², divididos em vários ambientes que remetem o visitante ao velho oeste americano. É muito mais do que uma casa de shows, pois concentra restaurante, pista de dança, camarotes e centro de convenções. Ambientes diferenciados, como o Saloon, as Praças Sertaneja, Caipira e do Cavalo dão o tom temático ao lugar. Aqui é possível ouvir o melhor da música sertaneja e de raiz, sem esquecer o inconfundível repertório country.